domingo, 31 de maio de 2009

W.C.S. Madrid 09









Hewitt out sprints Norden at Madrid WCS

Andrea Hewitt of New Zealand out sprinted Lisa Norden of Sweden and Jessica Harrison of France to win the second round of the ITU World Championship Series in Madrid, Spain Sunday.

Hewitt, the 2005 ITU Under 23 World Champion, edged Norden, the 2007 Under 23 World Champion, in a nerve-wracking dash in the finishing chute as both recorded the same finishing time of 2:05:57 on a hot, windless day in Madrid Spain. Harrison, the British-born French citizen, was just a second behind for third. Christiane Pilz of Germany was 4th, five seconds back while the USA’s Sarah Haskins was seven seconds back in 5th.

Five-time Madrid ITU World Cup winner Vanessa Fernandes of Portugal, the 2008 Olympic silver medalist and 20-time ITU World Cup winner, was a late scratch due to a recent leg injury. Emma Snowsill of Australia, the 2008 Olympic Champion and 3-time ITU World Champion, who won the 2009 ITU World Championship Series Round 1 in Tongyeong, South Korea, passed up this race to focus on Round 3 next month in Washington D.C.

2009 ITU World Championship Series 2
Madrid, Spain
May 31, 2009
S 1.5k/ B 40k/ R 10k

Results

Women

1. Andrea Hewitt (NZL) 2:05:58
2. Lisa Norden (SWE) 2:05:58
3. Jessica Harrison (FRA) 2:05:59
4. Christiane Pilz (GER) 2:06:02
5. Sarah Haskins (USA) 2:06:04
6. Magali di Marco Messmer (SUI) 2:06:18
7. Samantha Warriner (NZL) 2:06:45
8. Daniela Ryf (SUI) 2:06:52
9. Sarah Groff (USA) 2:07:25
10. Ai Ueda (JPN) 2:07:31
16. Helen Jenkins (GBR) 2:08:36
17. Mary Beth Ellis (USA) 2:08:54
35. Jure Ide (JPN) 2:18:06

Brownlee stuns field at Madrid WCS



Alistair Brownlee, the 21-year-old student from Leeds, Great Britain, devastated the field with a sizzling, race-best 30:30 10km run to take the second round of the 2009 ITU World Championship Series in Madrid Spain by 47 seconds over runner-up Courtney Atkinson of Australia. Javier Gomez of Spain, the 2008 ITU World Champion still recovering from an ankle injury that hampered him at the 2008 Olympics, rounded out the podium, five seconds back of Atkinson.

Brownlee, the 2007 ITU Junior World Champion and 2008 ITU Under 23 World Champion who led the 2008 Olympic triathlon before fading to 12th, hung tough with an 11-man bike breakaway that put 1:42 on the rest of the field led by Olympic champion Jan Frodeno, ITU World Championship Series Round 1 runner-up Brad Kahlefeldt of Australia, and Jarrod Shoemaker of the United States. After parking his bike, Brownlee took off on the run like a rocket-propelled grenade. Showing recent running form that produced a 29:30 10km road race a month ago, Brownlee left Gomez, an 11-time ITU World Cup winner and Atkinson, a 7-time ITU World Cup winner who won both the Mooloolaba and Ishigaki World Cup races earlier this year, in his dust.

“It was a dream race,” said Brownlee, who had not previously won an ITU World Cup race.

Kahlefeldt was the best of the chase pack, running a second-best on the day 31:04 10km to out lean fellow chaser Frodeno, bike front packer James Seear of Australia, and the USA’s Shoemaker for 9th.

2009 ITU World Championship Series 2
Madrid, Spain
May 31, 2009
S 1.5k/ B 40k/ R 10k

Results

Men
1. Alistair Brownlee (GBR) 1:51:27
2. Courtney Atkinson (AUS) 1:52:14
3. Javier Gomez (ESP) 1:52:19
4. Maik Petzold (GER) 1:52:32
5. Ivan Vasiliev (RUS) 1:52:39
6. Alexander Brukhankov (RUS) 1:52:45
7. Dimitry Polyansky (RUS) 1:53:08
8. Christian Prochnow (GER) 1:53:17
9. Brad Kahlefeldt (AUS) 1:53:18
10. Jan Frodeno (GER) 1:53:19
12. Jarrod Shoemaker (USA) 1:53:20

21 Pais Bruno POR 01:54:53 00:18:31 00:01:10 01:02:19 00:00:27 00:32:25
36 Marques Duarte Silva POR 01:57:53 00:18:40 00:01:10 01:02:16 00:00:27 00:35:20

http://www.triathlon.org/?call=TVRFdw==&id=MTM4NA==&keep=sh

Ironman Brasil 09











Dede-with-kestrel

































Top 9 women

* DEDE GRIESBAUER (#62). at 09:10:15
* CHARLOTTE KOLTERS (#69) at 09:18:31
* HEATHER GOLLNICK (#59) at 09:31:42
* SARA GROSS (#70) at 09:44:46
* ANA BORBA (#56) at 09:52:29
* FERNANDA KELLER (#51) at 09:54:11
* MARIA OMAR (#53) at 09:57:52
* MARIANA OHATA (#55) at 10:08:23
* ARIANE SILVEIRA (#58) at 10:09:41


Top Ten Men
* EDUARDO STURLA (#1) at 08:13:39
* REINALDO COLUCCI (#10) at 08::28:08
* PETR VABROUSEK (#4) at 08:37:18
* EZEQUIEL MORALES (#6) at 08:39:01
* RAUL FURTADO (#8) at 08:53:20
* LUCAS PRETTO (#16) at 08:56:49
* LEANDRO BONET (#9) at 08:57:37
* FABIO CARVALHO (#32) at 08:59:08
* VIRGILIO CASTILHO (#27) at 09:02:45
* IVAN JUNIOR (#7) at 09:04:38

Giro d'Italia etapa 21








Ufa!!


Ufa!!
Reuters

A menos de 1000 metros do final, Denis Menchov caiu. Um grande susto que não foi suficiente para roubar a vitória ao mais regular do Giro.

21 ª Etapa - Por um instante, quase pareceu que o maior dos golpes de teatro poderia estar prestes a acontecer. Depois de mais de 3400 quilómetros sem uma única queda, Denis Menchov caiu no último quilómetro... Apesar da chuva que se sabia ser perigosa, a surpresa foi geral: o líder escorregava em plena recta. De repente, nada fazia sentido - tempos, tácticas, recuperações milagrosas ou trabalho de equipa. Uma simples queda antes da última curva ameaçava roubar a vitória ao único homem que nunca falhara até então.

Tão depressa quanto Menchov demorou a cair, a realização televisiva foi à procura de Di Luca, já na meta. Seria possível? E daria ainda para que Di Luca acabasse por ganhar o Giro no maior volte-face possível de imaginar? A pergunta atravessava Di Luca assim como todos os outros. Mas, rapidamente, Menchov se levantou e correu para a bicicleta. Parecia estar bem. O Russo não sofrera qualquer lesão após o deslize pelo alcatrão. Ainda Menchov não chegara à sua máquina e já um mecânico da Rabobank estava a seu lado com máquina nova pronta para retomar corrida. O primeiro susto passara, mas não totalmente. Os olhos viraram-se para o relógio que não parava de contar...

DI LUCA FAZ MELHOR TEMPO NO 1º PARCIAL

Eram 20, os segundos que separavam os Danilo de Denis, antes dos 14,400 metros finais. Em teoria Denis seria o mais forte. Mas a chuva que caia em Roma lançava algumas dúvidas. Menchov poderia refrear-se para evitar quedas. Di Luca poderia aproveitar. A chuva era um factor equilibrador. E após os primeiros 3,300 metros qualquer coisa de especial parecia poder acontecer: Danilo fazia o melhor tempo e ganhava 5 segundos a Menchov. O Italiano partia para os últimos 11 quilómetros com apenas 15 segundos para recuperar até ao 1º lugar da geral. Seria possível?

MENCHOV REPÕE A ORDEM

O segundo parcial, a meio do percurso, esclarecia a pergunta do parágrafo anterior. Menchov repunha a ordem! Aproveitando a longa recta da Via Cola di Rienzo que conduz as imediações do Vaticano, ganhava tempo a Di Luca. Por isso, não... não ia ser possível. Estava arrumada a classificação geral. Menchov seria primeiro, Di Luca segundo, Pellizotti terceiro. A não ser que...

QUEDA COM A META À VISTA

Desde o dia anterior que Menchov afirmava: "O Giro só termina depois da meta". Palavras de quem sabe e que o próprio terá recordado no momento em que caiu. O relógio contava. Di Luca esperava. Antes da queda, o Russo ia a fazer um tempo fantástico, capaz de bater o melhor até então. Di Luca tinha acabado a etapa a 45 segundos do melhor. Seria suficiente para evitar o volte-face? Havia que fazer contas e depressa. E depressa também se entendeu que, mesmo caindo, Menchov iria terminar à frente de Di Luca. O líder não sofrera quaisquer danos físicos com a queda e a rápida troca de bicicleta minimizara as perdas de tempo. A televisão mostrou então Di Luca: baixou os olhos e fez um sorriso como quem reconhece que seria quase insjusto se, por causa da queda do adversário, tivesse chegado à vitória. Afinal de contas, ele mesmo, havia dado os parabéns ao Russo no dia anterior.

Duas notas mais: Vitória do jovem lituano da Cervelo, Edgaras Konovalovas a frente de Bradley Wiggins. Armstrong ficou longe dos melhores - 53º a mais de um minuto.

Etapa 21

1 Ignatas Konovalovas (Ltu) Cervelo Test Team 18.42 (46.203 km/h)

2 Bradley Wiggins (GBr) Garmin - Slipstream 0.01

3 Edvald Boasson Hagen (Nor) Team Columbia - Highroad 0.07

4 Yaroslav Popovych (Ukr) Astana 0.11

5 Marzio Bruseghin (Ita) Lampre - N.G.C. 0.16

6 Giovanni Visconti (Ita) ISD 0.18

7 Dries Devenyns (Bel) Quick Step 0.20

8 Maarten Tjallingii (Ned) Rabobank 0.21

9 Stefano Garzelli (Ita) Acqua & Sapone - Caffe Mokambo 0.23

10 Denis Menchov (Rus) Rabobank 0.24

11 Janez Brajkovic (Slo) Astana 0.27

12 Marco Pinotti (Ita) Team Columbia - Highroad 0.29

13 Gabriele Bosisio (Ita) LPR Brakes - Farnese Vini 0.30

14 Philippe Gilbert (Bel) Silence-Lotto 0.36

15 Andriy Grivko (Ukr) ISD 0.39

16 Franco Pellizotti (Ita) Liquigas 0.40

17 Danilo Di Luca (Ita) LPR Brakes - Farnese Vini 0.45

18 Ivan Basso (Ita) Liquigas 0.46

19 Tom Stamsnijder (Ned) Rabobank

20 Michael Rogers (Aus) Team Columbia - Highroad 0.49



Stage 21 results: Denis Menchov survives a late crash to win Giro on a treacherous TT course in Rome. What a gladiator.

























Stage 21 results

1 Ignatas Konovalovas (Ltu) Cervelo Test Team 18.42
2 Bradley Wiggins (GBr) Garmin - Slipstream 0.01
3 Edvald Boasson Hagen (Nor) Team Columbia - Highroad 0.07
4 Yaroslav Popovych (Ukr) Astana 0.11
5 Marzio Bruseghin (Ita) Lampre - N.G.C. 0.16
6 Giovanni Visconti (Ita) ISD 0.18
7 Dries Devenyns (Bel) Quick Step 0.20
8 Maarten Tjallingii (Ned) Rabobank 0.21
9 Stefano Garzelli (Ita) Acqua & Sapone - Caffe Mokambo 0.23
10 Denis Menchov (Rus) Rabobank 0.24
10 Janez Brajkovic (Slo) Astana 0.27
16 Danilo Di Luca (Ita) LPR Brakes - Farnese Vini 0.45

Final general classification
1 Denis Menchov (Rus) Rabobank 86.03.11
2 Danilo Di Luca (Ita) LPR Brakes - Farnese Vini 0.41
3 Franco Pellizotti (Ita) Liquigas 1.59
4 Carlos Sastre (Spa) Cervelo Test Team 3.46
5 Ivan Basso (Ita) Liquigas 3.59
6 Levi Leipheimer (USA) Astana 5.28
7 Stefano Garzelli (Ita) Acqua & Sapone - Caffe Mokambo 8.43
8 Michael Rogers (Aus) Team Columbia - Highroad 10.01
9 Tadej Valjavec (Slo) AG2R La Mondiale 11.13
10 Marzio Bruseghin (Ita) Lampre - N.G.C. 11.28

http://www.cyclingnews.com/road/2009//giro09/?id=results/giro0921

Fazer gelo para recuperar...


Fun in The Tub: The Benefits Of Taking An Ice Bath

Written by Bree Wee

You'll need more than an ice cube tray for an ice bath. Photo: Bree Wee

Professional triathlete Bree Wee explains why sitting in an ice bath can help aid the recovery process.

What if I told you I have a top secret? Something that helps reduce inflammation of tissues and joints, relieves soreness, is good for the bones and speeds up recovery? What if this can keep you training hard and going strong day after day? I bet you'd want to buy what I'm selling. Most triathletes are on a mission for the next best thing, the faster, lighter, tighter, stronger and anything that promises to help you perform better. Put your money away and run for the freezer! Grab a Popsicle while you're there!

Ice! Ice! Baby! Frozen water is a wonderful invention and athletes from across the world have incorporated it into their routines.

It's inevitable: if you swim, bike or run at high intensities or for long durations of time the body is going to break down. The daily wear and tear adds up and before long lactic acid, achy muscles and fatigue has set in. Hello tired, inflamed, heavy legs! Time for some recovery baby! A 20-miler can cause certain areas of the legs to be damaged. While inflammation does help circulate blood flow to those areas, it is necessary to help with the healing process of the damage we create. Ice baths are a great aid and can also help promote blood flow.

So how do ice baths help to boost the body's recovery process? An ice bath causes the blood vessels to tighten and drains the blood. Once you step out of the cold, ice infested water your body begins to warm and new oxygen filled blood begins to flow throughout your legs. This helps nourish the cells and flush lactic acid out. Some athletes help the recovery process by doing more than just stepping out of the tub; they have a contrast bath (warm water), just to be sure muscles warm back up.

A cold lake is also an option. Photo provided by Bree Wee.

If ice baths are new to you, this may sound ridiculous since you are not a polar bear. But, maybe you are just a little curious. I'm going to pretend you are curious. To make the time spent freezing worth it and to get the full benefits, the water needs to be about 50-53 degrees. Sorry, that's more than the ice that comes from one ice cube tray. If you're going to hop in a tub, make sure there's enough ice to get the water to the correct temperature. Let's pretend you don't live in a tropical place like me and you have a cold lake nearby. You can stand waist deep (get the hips in) in a lake made of bitter, cold water for the same effect. Take your pick, cold lake or ice. Be sure you stay in for 15 minutes. It's cold but worth every chatter of the teeth.

Put the hooded sweat shirt on and get in! Grab some hot chocolate and your legs will appreciate it!

70.3 Honolulu, Hawaii 2009


Granger ganha no Hawai
Resultados femininos

1 GRANGER, BELINDA 2/1/1 39/WPRO 00:27:08 02:27:18 01:34:56 04:33:16
2 MCGLONE, SAMANTHA 3/2/2 30/WPRO 00:27:11 02:30:04 01:37:13 04:38:02
3 SHAW, RHAE 1/1/1 34/W30-34 00:30:00 02:26:43 01:45:03 04:46:08
4 HART, ELLEN 4/1/1 51/W50-54 00:35:01 02:31:58 01:38:11 04:50:16
5 TRANCHINA, JESSICA 14/3/2 32/W30-34 00:35:44 02:38:05 01:37:46 04:56:25
6 STEPHENSON, NELL 26/5/1 35/W35-39 00:37:05 02:36:49 01:37:36 04:57:13
7 SCHAEFER, NATALIE 8/2/2 37/W35-39 00:32:47 02:35:03 01:44:40 04:58:05
8 BUSER, ARIANE 19/2/3 31/W30-34 00:37:08 02:27:53 01:48:33 04:59:26
9 TINGLE, LAURA 4/--/3 25/WPRO 00:27:28 00:00:00 05:00:45 05:00:45
10 BAKK, BRITNI 2/1/1 42/W40-44 00:30:49 02:40:43 01:45:53 05:01:26

Crowie é o grande vencedor

1 04:02:52 1 ALEXANDER, CRAIG 36 CRONULLA NSW AUS 24:59 2:17:50 1:17:12
2 04:05:34 4 LIETO, CHRIS 37 DANVILLE CA USA 24:49 2:10:08 1:27:16
3 04:11:58 2 MCKENZIE, LUKE 28 SUNSHINE B QLD AUS 24:47 2:17:56 1:26:26
4 04:14:11 3 MARR, TIMOTHY 30 HONOLULU HI USA 24:54 2:17:59 1:28:16
5 04:17:38 1172 OWEN, JARROD 28 WARANA QLD AUS 30:15 2:20:04 1:23:14
6 04:18:03 600 HAUTH, CHRIS 40 MILL VALLE CA USA 25:40 2:22:45 1:26:08
7 04:18:44 7 FLANAGAN III, JOHN 34 HONOLULU HI USA 23:26 2:19:13 1:32:49
8 04:19:14 9 ELLIOT, LEWIS 29 PHOENIX AZ USA 25:57 2:16:41 1:33:18
9 04:22:16 1274 REED, TIM 24 LORD HOWE NSW AUS 26:30 2:21:56 1:30:48
10 04:23:01 983 INKINEN, SAMI 34 SAN FRANCI CA USA 29:11 2:17:27 1:32:44

Giro d'Italia etapa 20

Dia de São Gilbert


"Solo" mio!
Reuters

Sastre a solo no topo do vulcão. Di Luca tira tempo a Menchov. 18 segundos separam 1º e 2º na Geral. Pellizoti tem pódio quase garantido.

20ª Etapa

Se há equipa discreta nesta temporada, essa equipa tem sido a Silence-Lotto. Poucas – quase nenhumas – vitórias e um Giro onde se contam pelos dedos de uma mão as vezes em que um corredor da equipa esteve em destaque, mesmo que por apenas breves instantes. Hoje, tudo mudou. Desde cedo se viu que havia intenção da Silence-Lotto em levar a etapa para uma decisão sobre a meta. Como nunca até então, a Equipa Belga trabalhou na frente do pelotão para anular as diversas tentativas de fuga. No final, o trabalho compensou. Num ataque pouco antes da subida que conduzia à meta, Phillipe Gilbert isolou-se com Thomas Vockler e Yaroslav Popovich, e acabaria por vencer. Uma vitória ao estilo das grandes clássicas frente a um Vockler que deu luta até aos derradeiros metros.

DI LUCA AJUDA… MENCHOV

Mas a etapa de hoje fica marcada por um acontecimento muito antes da meta. Foi uma meia surpresa quando se viu Di Luca e Menchov a lutarem pelos 6 segundos de bonificação de uma meta volante a cerca de 50 quilómetros da meta. A LPR conseguiu anular a primeira fuga do dia mesmo a tempo de fazer um comboio para Di Luca (!!) de modo a que este pudesse reduzir tempo para o líder da geral. Mas Menchov acabaria por ser mais rápido que Di Luca e o feitiço virar-se-ia contra o feiticeiro. Menchov faria segundo lugar no sprint bonificando 4 segundos contra apenas 2 de Di Luca… resultado: Menchov ganha tempo aproveitando o trabalho da equipa rival.

…E FALHA O FINAL

A Di Luca restava aproveitar a subida que levava à meta para tentar bonificar e reduzir tempo para o contra-relógio de Domingo, mas o desenrolar da prova não deixou que tal acontecesse. Para muitas equipas esta etapa era sinónimo de salvação - a derradeira etapa para uma possível vitória - e muitas eram as equipas que procuravam não sair do Giro sem nada para recordar. Deste modo, os muitos ataques que surgiram nos quilómetros finais acabaram por tornar impossível a tarefa de Di Luca que assim segue para o duelo final a 20 segundos de Menchov. O Russo pode ir encomendando o champanhe e o caviar para a festa…

Etapa 20

1 Philippe Gilbert (Bel) Silence-Lotto 4.30.07

2 Thomas Voeckler (Fra) BBox Bouygues Telecom 0.02

3 Stefano Garzelli (Ita) Acqua & Sapone - Caffe Mokambo 0.07

Class Geral

Menchov lidera com 20 segundos de vantage sobre Di Luca.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Giro d'Italia etapa 19

"Solo" mio!

"Solo" mio!

Sastre a solo no topo do vulcão. Di Luca reduz tempo para Menchov. 18 segundos separam 1º e 2º na Geral. Garzelli tem pódio quase garantido.

19 ª Etapa - A Etapa de hoje resumiu-se practicamente à subida do Vesúvio. Durante os cerca de 150 quilómetros anteriores à montanha pouco ou nada se passou. Dois homens em fuga, alcançados mal a estrada começou a subir. Destaque-se o trabalho da LPR de Danilo Di Luca que conduziu a perseguição de modo milimétrico.

PRIMEIROS ATAQUES

Milimétrico também seria o timming para os primeiros ataques por parte de segundos planos. Agnoli da Liquigas poderia servir como "apoio" para um posterior movimento ofensivo de um dos seus capitães - Ivan Basso ou Franco Pellizotti - e foi o primeiro a "mexer" na corrida. Outros ataques de menor importância se seguiriam mas só quando Basso saiu do grupo da frente se pode dizer que começou realmente a corrida. Entretanto Agnoli já ficara para trás. Outros como Garzelli, Simoni, Arroyo também tentaram sair do gruopo e juntar-se a Basso, mas apenas Carlos Sastre o conseguiria de facto fazer. Durante parte da corrida os dois seguiram na frente. Lá atrás no grupo do Camisola Rosa havia grande expectativa. Di Luca teria forçosamente de atacar.

DI LUCA VS MENCHOV

Di Luca aprendeu com a lição do Blockhaus, quando só atacou Menchov no final e podia ter ganho mais tempo se o tivesse feito mais cedo. Hoje, decidiu testar o Russo logo à passagem do quilómetro 5 quando a subida do Vesúvio endurecia de modo súbito. Mas Menchov respondeu bem. Uma, duas, três vezes tentou Di Luca e uma, duas, três vezes respondeu Menchov. O Italiano não conseguia fazer descolar o Russo.

SASTRE SOZINHO

Entretanto, na frente da corrida, Sastre desfazia-se de Basso. O Italiano da Liquigas não parecia aguentar no ritmo do vencedor do Tour 2008. Basso ficava para trás deixando Sastre num solo a caminho da vitória. A 3 quilómetros da meta seria a vez de Pellizotti fazer a sua jogada. Com Di Luca e Menchov entretidos entre si, Pellizotti saiu disparado à procura de Basso. Pela primeira vez neste Giro, vimos colaboração entre os dois homens da Liquigas. Colaboração de pouca duração, diga-se. Basso, muito desgastado, acabaria por não conseguir seguir ao ritmo de Pellizotti que assim seguia rumo ao segundo lugar isolado. Basso, em quebra, seria mesmo ultrapassado a pouco metros da meta por Di Luca (3º) e Menchov (4º).

DI LUCA BONIFICA

Graças às bonificações, Di Luca recupera 8 segundos para Menchov e só 18 segundos separam os dois primeiros. O final de amanhã, num pequeno topo, é propício a uma vitória de Di Luca. O Giro está totalmente por decidir.

Etapa 19

1 Carlos Sastre (Spa) Cervelo Test Team 4.33.23

2 Franco Pellizotti (Ita) Liquigas 0.21

3 Danilo Di Luca (Ita) LPR Brakes - Farnese Vini 0.30

4 Denis Menchov (Rus) Rabobank

5 Ivan Basso (Ita) Liquigas 0.35

6 Levi Leipheimer (USA) Astana 0.53

7 Tadej Valjavec (Slo) AG2R La Mondiale 1.14

8 Serge Pauwels (Bel) Cervelo Test Team 1.15

9 Jose Serpa (Col) Serramenti PVC Diquigiovanni

10 Stefano Garzelli (Ita) Acqua & Sapone - Caffe Mokambo

11 David Arroyo (Spa) Caisse d'Epargne

12 Marzio Bruseghin (Ita) Lampre - N.G.C. 1.29

13 Gilberto Simoni (Ita) Serramenti PVC Diquigiovanni 1.32

14 Kevin Seeldraeyers (Bel) Quick Step 1.38

15 Francesco Masciarelli (Ita) Acqua & Sapone - Caffe Mokambo 1.40

16 Lance Armstrong (USA) Astana 1.42

17 Arnold Jeannesson (Fra) Caisse d'Epargne 1.54

18 Daniel Navarro (Spa) Astana 2.26

19 Mauricio Ardila (Col) Rabobank 2.41

20 Damiano Cunego (Ita) Lampre - N.G.C. 2.44

21 Yaroslav Popovych (Ukr) Astana 2.51

22 Kanstantsin Siutsou (Blr) Team Columbia - Highroad 2.57

23 Janez Brajkovic (Slo) Astana

24 Carlos José Ochoa (Ven) Serramenti PVC Diquigiovanni

25 Paolo Tiralongo (Ita) Lampre - N.G.C.

26 Francis De Greef (Bel) Silence-Lotto

27 Michael Rogers (Aus) Team Columbia - Highroad

28 Alexander Efimkin (Rus) AG2R La Mondiale

29 Marcos Garcia (Spa) Xacobeo Galicia

30 Pablo Lastras (Spa) Caisse d'Epargne

Class Geral

Denis Menchov lidera com 18 segundos de vantagem sobre Di Luca e 1.39 minutos sobre Pellizotti.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Tour of Belgium, May 27-31, 2009


Robbie McEwen cai e parte a perna...

Had an accident today in tour of Belgium, broke my tibia. Operation, two screws in it.luckily the tendon is ok. Hit a barrier.

Giro d'Italia etapa 18

A vitória do saber


A vitória do saber
Reuters

Michele Scarponi ganha a etapa 18. O Italiano bisa no Giro centenário. A experiência é um posto.

18ª Etapa - Vitória ao sprint para Michele Scarponi. O ciclista da Diquigiovanni guardou energias para a meta e surpreendeu num pequeno grupo de seis onde nem sequer era o mais rápido. Scarponi provou que a expêriencia e a sabedoria contam mais que tudo o resto. Félix Cardenas (Barloworld) fez segundo e Danny Pate (Garmin-Slipstream) terminou em terceiro.

TODOS NA FUGA

O grupo dos homens da frente resultou de um lote muito maior - 25 unidades - que dominou quase toda a tirada. Fuga lançada ao quilómetro 15 com quase todas as equipas presentes - apenas 5 equipas das 22 do Giro falharam a representação com pelo menos um homem. A fuga chegou a ter mais de 6 minutos de avanço sobre um pelotão que quase nunca reagiu. Apenas a AG2R e a Milram pareciam interessadas em evitar o sucesso dos fugitivos. A Rabobank de Menchov aproveitava a boleia. A poupança de energia é fundamental nesta fase da prova.

VITÓRIA DE SCARPONI

Foi na aproximação a Benevento que o grupo dos 25 se desuniu. Ataques sucessivos acabaram por deixar na frente apenas os 7 que viriam a decidir a etapa. O Belga Dries Devenyns (Quick Step) deu o tiro de partida para o sprint final a 500m da meta. Cardenas respondeu, ultrapassando o Belga, mas levando consigo Danny Pate e um insuspeito Scarponi. O Italiano vinha a poupar-se e reservou para os últimos metros um resto de energia que lhe daria a vitória - a segunda neste Giro. Um grande ano para Scarponi que bisa no Giro depois de já ter ganho uma etapa e a geral da Tirreno-Adriático. Uma vitória da experiência.

Na geral, não houve alterações significativas.

Etapa 18

1 Michele Scarponi (Ita) Serramenti PVC Diquigiovanni 4.07.41

2 Félix Cardenas (Col) Barloworld

3 Danny Pate (USA) Garmin - Slipstream

4 Lars Ytting Bak (Den) Team Saxo Bank

5 Dmytro Grabovskyy (Ukr) ISD 0.06

6 Dries Devenyns (Bel) Quick Step 0.20

7 Jason McCartney (USA) Team Saxo Bank 0.24

Class Geral

Menchov lidera com 26 segundos de vantagem sobre Di Luca e 2 minutos sobre Pellizotti.

http://www.steephill.tv/giro-d-italia/

Mau Mau...então não é só pão e àgua?

Menchov squirms as doping investigators circle the Rabobank team

May 27, 11:11 PM ·

Giro d’Italia leader Denis Menchov is on the hot seat in Austria

From the "here we go again file", the latest reports on the cycling doping front have the current Giro d’Italia leader Denis Menchov a bit nervous.

Austrian authorities have recently approach Menchov's team Rabobank about an an alleged blood doping ring operated in Vienna, Austria.

According to Velonews:

"Journalists queried Menchov during his post-stage press conference Wednesday after he defended his maglia rosa on the mountaintop finish to Blockhaus.

“That’s a curious question,” said a visibly nervous Menchov. “This story isn’t new to me. I heard all about it last year. I gave explanations last year. I have nothing to do with it. I don’t want to have to speak about it again and give the same explanations. We’re in the race now. I’d rather speak about the Giro.”

Last year, Menchov was asked about a German television report — later retracted by the station — that claimed to tie him and five other Rabobank riders to a doping ring. Menchov strongly denied the report at the time."

So far Menchov has refused to answer a direct questions as to if he has been contacted by Austrian authorities so now a dark cloud hangs over the head of the current Giro leader.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Giro d'Italia etapa 17

Rampa de (re)lançamento

Rampa de (re)lançamento

Franco Pellizotti está no pódio. Di Luca recupera para Menchov. O Blockhaus relança a corrida.

17ª Etapa - Etapa estranhamente curta, com pouco mais de 80 quilómetros que terminavam no alto do Blockhaus a mais de 1600 metros. Um perfil semelhante a uma rampa de lançamento... Etapa marcada por um ritmo feroz imposto desde o primeiro metro. Na subida final Pellizotti atacou primeiro e colheu os lucros. Di Luca fez terceiro, atacando nos últimos metros, ganhando tempo a Menchov que deu um pequeno sinal de fraqueza. No final da etapa apetece perguntar: e se Di Luca tivesse testado Menchov mais cedo? O Giro continua (mais) aberto!

RITMO INFERNAL

Muito calor e velocidade elevada, numa etapa curtíssima que terminava a mais de 1600 metros após 17 quilómetros de ascenção a cerca de 7%. A fuga do dia surgiu logo após o tiro de partida. E desde logo - também - começou a perseguição. Primeiro a Rabobank, quase por obrigação, depois a LPR, com intenção declarada de não permitir uma vitória aos homens da frente, e, finalmente, a Cervelo, fazendo acreditar num ataque de Sastre. Em pouco tempo se atingiram os 17 quilómetros finais e a ascenção do Blockhaus. Nessa altura, foi a Liquigas que finalmente apareceu e que, num instante, desfez o pelotão. Em 2 ou 3 quilómetros restavam na frente pouco mais de 20 unidades.

GUERRA ABERTA

O endurecimento da corrida por parte da Liquigas fazia antever um movimento ofensivo de Basso ou de Pelizzotti. Uma rampa de lançamento que o segundo dos dois italianos aproveitou para ganhar a etapa e entrar no top 3 da geral. Na esteira de Pellizotti seguiu... Armstrong. Nada que o americano não viesse a prometer desde há alguns dias. Armstrong mostrou mais uma vez que Leipheimer "já era". Nem por um segundo esperou pelo seu companheiro - estava apostado em ganhar a etapa. Pouco atrás, seguiam Basso, Menchov, Garzelli e Di Luca, Di Luca e mais Di Luca, o único que puxava... E Carlos Sastre? Uma desilusão. O vencedor do Tour 2008 não respondeu na hora ao abanão na corrida, perdeu o momento e nunca mais recuperou um lugar no grupo de Di Luca e Menchov. Daí em diante, limitar-se-ia a minimizar as perdas.

VITÓRIA DE PELLIZOTTI

A meio da subida Pellizotti aguentava e ganhava tempo. Armstrong cedia. Primeiro caía para o grupo de Menchov e Di Luca, depois para o grupo de Sastre que vinha um pouco mais atrás. Entre Pellizotti e Sastre jogava-se o 3º lugar da geral. O Italiano levava a melhor. Seguiria até ao final sem que ninguém lhe tocasse. Ganhou a etapa e o 3º lugar na geral.

FRAQUEZA DE MENCHOV?

No Grupo de Di Luca, Menchov e Garzelli, quase nada se passava. Di Luca puxava, Menchov seguia... Dava a sensação de que Di Luca não conseguia aumentrar mais o ritmo e que, por mais que o Italiano fizesse, nunca o Russo ficaria para trás. No entanto, já com a meta à vista, Di Luca decidiu sprintar para fazer segundo e ganhar as bonificações e foi então que... surpresa! Menchov não conseguiu responder e acabou mesmo por ser ultrapassado por Garzelli fazendo quarto e não bonificando. Di Luca faz 3º atrás de Garzelli e recupera um total de 13 segundos para Menchov, mas fica a ideia que o Italiano podia ter testado o Russo mais cedo recuperando ainda mais tempo. Veremos Di Luca aprendeu a lição e ataca mais cedo no Vesúvio (19ª etapa).

Etapa 17

1 Franco Pellizotti (Ita) Liquigas 2.21.06

2 Stefano Garzelli (Ita) Acqua & Sapone - Caffe Mokambo 0.42

3 Danilo Di Luca (Ita) LPR Brakes - Farnese Vini 0.43

4 Denis Menchov (Rus) Rabobank 0.48

5 Ivan Basso (Ita) Liquigas 0.57

6 Marzio Bruseghin (Ita) Lampre - N.G.C. 1.54

7 Sylvester Szmyd (Pol) Liquigas 1.55

8 Michael Rogers (Aus) Team Columbia - Highroad 1.59

9 Carlos Sastre (Spa) Cervelo Test Team

10 Lance Armstrong (USA) Astana

11 Levi Leipheimer (USA) Astana

12 Tadej Valjavec (Slo) AG2R La Mondiale

13 Gilberto Simoni (Ita) Serramenti PVC Diquigiovanni-Androni Giocattoli 2.05

14 Francesco Masciarelli (Ita) Acqua & Sapone - Caffe Mokambo 2.09

15 Kanstantsin Siutsou (Blr) Team Columbia - Highroad 2.17

Class Geral

Menchov lidera com 26 segundos de vantagem sobre Di Luca e 2 minutos sobre Pellizotti. Basso está a 3.28 e Sastre a 3.30.

terça-feira, 26 de maio de 2009

With Fernandes out, new Madrid champ assured


Portuguese sensation Vanessa Fernandes was expected to make her World Championship Series debut in Madrid, however has withdrawn at the last minute as she continues to recover from a broken collarbone sustained in early season training.

An uncharacteristic sixteenth place finish at the Quarteira European Cup is all the Beijing Olympic Games silver medalist has to show for her season so far, although undoubtedly that will improve as the year rolls on.

With Fernandes off the start list Madrid will have a new women’s champion as the Portuguese star had been unbeaten on the Caso del Campo course since its first inclusion in the ITU calendar back in 2003.

With Olympic gold medalist and current World Championship Series leader Emma Snowsill also missing the race as she focuses on the third leg of the series in Washington, DC, the door of opportunity is wide open for the women competitors to maximize their points total.

Annabell Luxford, the Australian national champion will be the Aussie’s sole competitor in the women’s race but has a strong record on the course having finished second in 2005 and third in 2004.

Japan’s Juri Ide heads to Europe on an impressive run of form which includes victory at the Ishigaki World Cup followed by a third place finish in Tongyeong. The rising star of Asian triathlon impressed with a fifth place finish in Beijing at the Olympic Games in 2008.

Home support will go to Ainhoa Murua who showed promise with fourth in Ishigaki and a top twenty finish in Tongyeong, whilst the experienced Ana Burgos goes in search of her third Madrid medal.

New Zealand’s 2008 ITU World Cup Series Champion, Samantha Warriner will be hoping to improve on her eighth place finish in Tongyeong where she crashed on the bike and had to work hard to catch the lead pack. Having focused on some longer distance racing over the off season she will need to sharpen her pace to feature on the podium in Spain.

Two athletes also looking to make a mends after Tongyeong are Switzerland’s Daniela Ryf and New Zealand’s Andrea Hewitt. Ryf, a renowned cyclist, was forced to retire on the opening cycle lap in Tongyeong with a snapped chain, whilst Hewitt crashed on the bike but bravely battled on to finish thirty-ninth despite showing signs of road rash and bruising.

The pair have enjoyed good results on the Madrid course with Ryf taking third last year and Hewitt finishing runner-up to Fernandes in both 2007 and 2006.

As the season heads to Spain a large European contingent will be making their way across the continent. Great Britain’s Helen Jenkins, the 2008 World Champion, finished second on the Madrid course just a year ago whilst the big breakthrough of 2008, Hollie Avil, will looking to get her season underway with a bang. They will be joined on the pontoon with newly crowned British national champion Jodie Swallow.

Luxembourg’s Liz May should prove to be a strong threat, as well Lisa Norden from Sweden, who impressed during the 2008 season with victory at the World Cup race in Lorient, France.

Germany’s Olympic athletes, Ricarda Lisk, Anja Dittmer and Christine Pilz will all line up alongside the French duo of Carole Peon and Jess Harrison whilst Athens Olympic gold medalist Kate Allen will be Austria’s sole representative.

Sarah Groff and Sarah Haskins will make their 2009 World Championship debuts in Madrid whilst Mary Beth Ellis makes the trip following victory at the Pan-American Championships in Oklahoma.

Challenge Barcelona 24-05-09





















O que é que se passa agora que o resultado e nome do Krepe não aparece? mau, mau!!!

Já cá estão os resultados dos tugas em Barcelona. Nãi sei se estão muito bem porque já vi algumas mudanças...Assim que tiver mais novidades, aqui estarão...

7 Pedro Gomes 28:28 1:37 2:17:56 1:38 1:18:19 4:07:56
24 Rui Rodrigues 30:13 2:16 2:20:22 2:22 1:22:47 4:17:58
34 Luis D. Santos 31:04 2:23 2:19:56 1:46 1:25:23 4:20:31
37 Sergio Dias 35:55 1:59 2:18:11 2:02 1:22:58 4:21:03
18 Hélder Milheirs 35:34 3:20 2:23:38 2:27 1:30:29 4:35:27
129 Pedro Quintela 38:25 3:10 2:20:35 1:52 1:33:14 4:37:15
149 Rui Simões 38:06 3:17 2:20:52 2:03 1:36:02 4:40:18
104 2025 Rodrigo Baltazar

32:44 3:10 2:23:11 2:25 1:34:51 4:36:19



É também este domingo o Challenge Barcelona que conta com a presença de 18 tugas mas que agora passou a 17 derivado á ausência do Fininho que foi á faca para fazer uma banda gástrica porque estava a apresentar problemas alimentares graves.
Boa sorte a todos, boa prova.

http://www.halfchallenge-barcelona.com/home/info_general.php?language=en

The not so good news...

Vanessa falha Taça do Mundo de Madrid
PORTUGAL REPRESENTADO POR BRUNO PAIS E DUARTE MARQUES

Depois da ausência na Coreia, Vanessa Fernandes, vice-campeã olímpica, vai falhar também a segunda prova do Mundial - 31 de maio em Madrid -, competição em que Portugal vai estar representado pelos atletas Bruno Pais e Duarte Marques.

Vanessa, 23 anos, fraturou a clavícula em Janeiro e falhou o arranque do Mundial em Tongyeong. Previa-se que a triatleta voltasse à alta competição na capital espanhola, mas ainda não está na forma adequada para cumprir com as expectativas.

Este ano o título mundial de elites vai deixar de ser discutido numa prova única, sendo agora atribuído na sequência de um circuito, com sete etapas e uma final obrigatória, que atribui o dobro dos pontos das restantes etapas.

Para Duarte Marques, 44.º em Pequim'2008, esta vai ser a estreia no Mundial'2009, enquanto Bruno Pais , 17.º nos Jogos Olímpicos, terminou a etapa inaugural no 16.º lugar.

Na Coreia do Sul, João Silva e João José Pereira foram, respetivamente 46.º e 59.º classificados, ficando agora de fora. É que os atletas estão em estágio em altitude em Font Romeu a preparar os campeonatos da Europa, categoria Sub-23.

Calendário da "World Championship Series" 2009

2 e 3 de maio - Tongyeong (Coreia do Sul)

30 e 31 de maio - Madrid (Espanha)

21 de junho - Washington (Estados Unidos)

11 e 12 de julho - Kitzbühel (Áustria)

25 e 26 de julho - Hamburgo (Alemanha)

15 de agosto - Londres (Inglaterra)

22 e 23 de agosto - Yokohama (Japão)

9 a 13 de setembro - Goald Coast (Austrália) - Final

Vanessa Fernandes, ganando en Madrid



Vanessa Fernandes, baja en la Serie Mundial de Madrid

  • La baja de la única triatleta que ha ganado en Madrid, desde que comenzó la prueba en 2003, abre como nunca la cita del domingo

La edición de 2009 del triatlón de Madrid, que este año es el segundo de las llamadas Series Mundiales de este deporte, será la primera en la que la triunfadora femenina no será la portuguesa Vanessa Fernandes. Una fractura de clavícula sufrida a comienzos de año ha impedido a la lusa estar en el nivel de forma necesario y ha anunciado a la organización su baja definitiva.

Ganadora desde que Madrid entró en la máxima categoría del triatlón mundial -hasta ahora en la Copa del Mundo-, Fernandes era la favorita indiscutible año tras año, acumulando seis triunfos consecutivos que ya nadie se atrevía a discutir ante una nueva edición. Por ello, la baja de la portuguesa supone un nuevo escenario en el que el resto de contendientes se encuentran con una oportunidad de oro.

Entre las españolas, Ana Burgos es la que más cerca ha estado de la victoria, con sus terceros puestos en 2005 y 2006, que son la mejor clasificación de una de nuestras triatletas en la cita de casa. Saliendo de una lesión de cadera que la tuvo sin poder entrenarse en condiciones en la carrera a pie hasta hace no demasiado, la duda es saber si la motivación extra de correr en Madrid, su casa, y el añadido de no tener a la rival número 1 delante pueden ser suficientes para llevar en volandas a Ana.

Junto a ella, María Pujol, en gran forma, y Ainhoa Murúa paracen ser las armas con las que cuenta especialmente Juan Rodríguez, el seleccionador nacional, para buscar una buena actuación en la Casa de Campo en la prueba femenina del próximo domingo. Entre los chicos, la baza de Javier Gómez Noya no deja fisuras.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Giro d'Italia etapa 16

Foi uma das melhores etapas do Giro até agora....

"Estou na luta!"


"Estou na luta!"
AFP

Carlos Sastre afirma-se. O Espanhol está na luta. Leipheimer perde muito tempo na etapa mais dura de todas corrida sob muito calor.

16ª Etapa - Dia de muito calor e decisões importantes. Dia de montanha que - todos o sabiam - poderia fazer vítimas e trazer revelações. Etapa longa corrida em mais de 7 (!!) horas.
A vitória de Sastre mostra que o Espanhol da Cervelo está no Giro a fazer mais que apenas a preparar o Tour. A subida ao Monte Petrano era aguardada desde o primeiro dia. No momento da verdade, Sastre atacou debaixo de um forte calor deixando para trás Di Luca e Menchov, e depois Ivan Basso que ainda o acompanhou por alguns quilómetros. Foi, aliás, de Ivan Basso o ataque que acabaria por lançar Sastre para a vitória e para o terceiro lugar da geral.

UM PELOTÃO EM FUGA

A etapa começou com uma fuga muito numerosa. Cerca de duas dezenas de ciclistas formavam quase um pelotão à parte. Andaram na frente durante 3/4 do percurso. No entanto, aos poucos, o grupo foi perdedndo unidades e, à passagem pela penúltima montanha apenas Popovych e Cunego (ambos na fuga original) pareciam em reais condições de discutir a etapa. Os dois entrariam na frente na derradeira subida para Monte Petrano. Popo na frente, Damiano a 30 segundos.
Cunego seria, então, o primeiro a ceder na luta pela vitória. Popovych parecia mais sólido e a cinco quilómetros do fim quase parecia ter a etapa ganha. Foi então que, lá atrás, a Liquigas decidiu mexer na corrida e tudo mudou.

A LIQUIGAS AO ATAQUE

Ao endurecer o ritmo, a Liquigas destruiu o grupo dos poucos que ainda seguiam com os líderes. As primeiras vítimas seriam os homens da Astana. Já se entendera que Leipheimer não estava bem. Armstrong seguiu primeiro com os mais fortes, depois ficou para trás para ajudar o companheiro de equipa. No final perderiam quase 3 minutos para Sastre. Para trás ficariam ainda Pellizotti, Rogers, Garzelli...

TRIUNFO DE SASTRE

Num ápice o grupo dos mais fortes estava reduzido a quatro unidades. Os Liquigas caiam uns atrás dos outros, excepção feita a Basso que se mantinha com Sastre, Menchov e Di Luca. Foi então que aconteceu o momento decisivo (e certamente importante para o desfecho do Giro): Basso atacou sozinho e só Sastre o conseguiu seguir. Os dois ganharam rapidamente alguma vantagem sobre Di Luca e Menchov. O Russo parecia mais preocupado com Di Luca do que com os dois atacantes. Na fase final da etapa Di Luca e Menchov acabarfiam mesmo por colaborar e alcançar Basso, em perda. No final, vitória de Sastre, isolado, com sprint entre Menchov (12") e Di Luca (8") pelas bonificações. Leipheimer parece definitivamente fora da luta pelo Giro.

Etapa 16

1 Carlos Sastre (Spa) Cervelo Test Team 7.11.54

2 Denis Menchov (Rus) Rabobank 0.25

3 Danilo Di Luca (Ita) LPR Brakes - Farnese Vini 0.26

4 Ivan Basso (Ita) Liquigas 0.29

5 Stefano Garzelli (Ita) Acqua & Sapone - Caffe Mokambo 1.19

6 Francesco Masciarelli (Ita) Acqua & Sapone - Caffe Mokambo 1.21

7 Franco Pellizotti (Ita) Liquigas

8 Tadej Valjavec (Slo) AG2R La Mondiale 2.11

9 José Serpa (Col) Serramenti PVC Diquigiovanni-Androni Giocattoli 2.35

10 Lance Armstrong (USA) Astana 2.51

11 Levi Leipheimer (USA) Astana

Class Geral

Denis Menchov lidera com 39 segundos de vantagem sobre Di Luca e 2.19 sobre Sastre. Leipheimer caiu de 3º para 6º, a 3.21.

http://www.steephill.tv/giro-d-italia/

Grand Prix F.F.TRI. – Lyonnaise des Eaux 2009 de Dunkerque


Também foram este FDS em Dunkerke as provas femininas e masculinas do Grand Prix:
Estiveram lá a Anais e também o Bruno Pais e o Jão Silva









20
14 VERGUET
MONIZ Anais POR- BRIVE LIMOUSIN TRI 0:09:40- 2 0:54- 0:32:14- 24- (-8)- 0:36- 0:19:36- 25 -(-10)-1:02:56.82

11
26 PAIS Bruno POR -LES SABLES VENDEE TRI 0:09:14- 52- 0:52- 0:27:47 -8- (+28)- 0:30 0:16:05 8- (+13)- 0:54:26.02
12 27 SILVA Joao POR - LES SABLES VENDEE TRI 0:08:52- 2- 0:48- 0:28:15- 35 -(-10)- 0:29- 0:16:06- 9- (+18) -0:54:27.37

resultados-
http://www.ipitos.com/resultats-pdf/88-triathlon-de-dunkerque-59.html

Budapeste C.E. Duatlo 09








Portugal conquista ouro no Europeu de duatlo

A Selecção portuguesa, formada por Lino Barruncho, o júnior Pedro Palma e Sérgio Silva, conquistou este domingo a medalha de ouro nos Europeus de Duatlo, que decorreram em Budapeste, Hungria.



Portugal arrecada, assim, a segunda medalha nestes Campeonatos, depois de ontem ter arrecadado a medalha de prata no escalão júnior, conquistada por Pedro Palma.

Parece que afinal o Lino não foi 3º. Ora vejamos a "outra" classificação.
Vamos ver se este russo também não anda na dieta da laranja!!
Temos que esperar para realmente ver o que aconteceu...
E o Sérgio partiu o espigão de selim...
Nas estafetas pode-se vingar, mas não é bem a mesma coisa...

1. 15 ANDREAS SUTZ SUI 1:50:48 -
2. 17 LAURENT GALINIER FRA 1:50:56 0:00:09
3. 6 SERGEY YAKOVLEV RUS 1:52:03 0:01:15
4. 4 LINO BARRUNCHO POR 1:52:11 0:01:24
5. 1 JURGEN DEREERE BEL 1:52:14 0:01:27


Tiago Silva é 5º neste europeu de duatlo...
1. 98 ALESSANDRO FABIAN ITA 1:52:35 -
2. 99 ANDREA SECCHIERO ITA 1:52:58 0:00:23
3. 78 ANTOINE DUVIVIER BEL 1:53:06 0:00:31
4. 75 TAMAS KEKI HUN 1:53:34 0:00:59
5. 72 TIAGO SILVA POR 1:55:48 0:03:13

O "velho" faz 3º nesta prova do campeonato da europa onde ainda não sei o que aconteceu ao Sérgio, talvez se esteja a guardar para as estafetas...

1. 15 ANDREAS SUTZ SUI 1:50:48 -
2. 17 LAURENT GALINIER FRA 1:50:56 0:00:09
3. 4 LINO BARRUNCHO POR 1:52:11 0:01:24
4. 1 JURGEN DEREERE BEL 1:52:14 0:01:27
5. 3 DAMIEN DEROBERT FRA 1:52:21 0:01:34
6. 23 BENJAMIN GRENETIER FRA 1:52:27 0:01:40
7. 19 ALEJANDRO SANTAMARIA PEREZ ESP 1:52:47 0:02:00
8. 16 VICTOR MANUEL DEL CORRAL MORALES ESP 1:52:52 0:02:05



Pedro Palma conquista medalha de prata no escalão junior em Budapeste...

1. 141 JORGE NARANJO VICHOT ESP 0:56:33 -
2. 161 PEDRO PALMA POR 0:56:35 0:00:03
3. 135 OSCAR VICENTE ESP 0:56:36 0:00:04
4. 152 KRISTOF KIRALY HUN 0:56:40 0:00:07
5. 140 ALEX ASCENZI ITA 0:56:46 0:00:13

domingo, 24 de maio de 2009

Remember Steve Larsen













http://www.rememberstevelarsen.com/

Giro d'Italia etapa 14

Fuga de sucesso


Fuga de sucesso
Imago

Oportunidade perdida por Di Luca num dia em que Gerrans ganha integrado em fuga.

14ª Etapa - Mais que a vitória de Simon Gerrans da Cérvelo, notou-se a oportunidade perdida por Di Luca, para ganhar tempo nas bonificações. A LPR esteve mal tacticamente deixando escapar um grupo numeroso logo no ínicio da etapa.

EXPECTATIVA

Era muita a expectativa em torno desta etapa, com final duro no topo de 2 quilómetros a 10% de inclinação, em Bolonha. Danilo Di Luca tinha ganho nesse mesmo local em Outubro do ano passado, durante o Giro dell'Emiglia. Apostava-se num ataque de Di Luca, procurando ganhar tempo efectivo e bonificações, também. Para tal, seria necessário que a LPR controlasse a corrida e nunca deixasse que uma fuga chegasse na frente retirando desse modo a possibilidade a Di Luca de bonificar. Mas seria exactamente isso que aconteceria...

ERRO TÁCTICO

Esteve mal a LPR quando, ao quilómetro 12, deixou escapar 13 ciclistas sem colocar qualquer homem seu na frente. Um homem que pudesse fazer perigar a classificação de outros ciclistas de outras equipas e que, desse modo, obrigasse os outros a trabalhar na anulação da fuga. Um grupo desta dimensão, sem nenhum LPR, seria naturalmente mais difícil de alcançar que um grupo pequeno. A LPR devia ter dado o tudo por tudo desde o ínicio para evitar que a vantagem chegasse aos 5 minutos.

PERSEGUIÇÃO FALHADA

Durante practicamente toda a jornada a LPR esteve na frente do pelotão. A equipa desgastou-se muito nas várias montanhas do dia sem que conseguisse cumprir o objectivo de anular a fuga. Os homens da frente colaboravam bem e, tendo em conta o grande número de ciclistas, iam mantendo alguma frescura. Na "roda" da LPR, no pelotão, quase de modo cínico, seguiam a Rabobank, a Astana e a Liquigas vendo a equia de Di Luca a ser levada ao limite. A vantagem não caía, ou se caía não era nunca o suficiente para que pudesse haver garantias de anulação da fuga. E assim chegámos ao final da etapa em Bolonha. Di Luca estava longe da frente. A vitória iria decidir-se entre os fugitivos.

VITÓRIA DE GERRANS

Foi já nos dois quilómetros finais que Simon Gerrans atacou. Muito forte, resistiu a todos os que tentaram colocar-se a seu lado. Ninguém o passou uma só vez em contra-ataque. O Australiano da Cérvelo (um dos dois Cérvelo em fuga) já tinha dado provas de que era um bom homem em finais difíceis quando, no ano passado ganhou uma das etapas de montanha do Tour. Os outros elementos da fuga chegariam quase todos ainda antes do "homens da geral".

Lá atrás, Di Luca ainda atacaria em resposta a um ataque de Pellizotti, mas sem grande sucesso. Leipheimer, Basso e Rogers perderiam alguns segundos, mas muito pouco significativos. Menchov e Sastre estiveram melhor chegando com Di Luca e Pellizotti. Mas ficou a clara ideia de oportunidade perdida por Di Luca.

Etapa 14

1 Simon Gerrans (Aus) Cervelo Test Team 4.16.48

2 Rubens Bertaglioti (Ita) Diquigiovanni 0.12

3 Francesco Gavazzi (Ita) Lampre - N.G.C. 0.18

...

10 Franco Pellizotti (Ita) Liquigas 1.04

11 Danilo Di Luca (Ita) LPR Brakes - Farnese Vini

12 Stefano Garzelli (Ita) Acqua & Sapone - Caffe Mokambo

13 Denis Menchov (Rus) Rabobank

14 Carlos Sastre (Spa) Cervelo Test Team

15 Marzio Bruseghin (Ita) Lampre - N.G.C.

16 Ivan Basso (Ita) Liquigas 1.07

17 Levi Leipheimer (USA) Astana

18 Michele Scarponi (Ita) Serramenti PVC Diquigiovanni-Androni Giocattoli

19 David Arroyo (Spa) Caisse d'Epargne 1.10

20 Michael Rogers (Aus) Team Columbia - Highroad

Class Geral

Menchov lidera com 34 segundos de vantagem sobre Di Luca.

NISSAN UCI Mountain Bike World Cup Madrid XCO 09

















Foi este o melhor tuga na taça do Mundo Btt XCO em Madrid

Rank Race Nr NAME / First Name Nation Avg Time Gap
LAP 1 LAP 2 LAP 3 LAP 4 LAP 5 LAP 6
UCI MTB Team
Men
CROSS-COUNTRY OLYMPIC 4
Race Analysis
Madrid (ESP) - 24.05.2009
85 97 ROSA David Joao Serralheiro POR 1:58:47 +14:15
19:40 (88)
19:40 (88)
58:26 (83)
19:04 (69)
39:22 (92)
19:42 (95)
1:17:54 (82)
19:28 (77)
1:58:47 (85)
20:45 (89)
1:38:02 (80)
20:08 (85)
22.73
86

resultados - http://www.uci.ch/templates/BUILTIN-NOFRAMES/Template3/layout.asp?MenuId=MTU2OTE&LangId=1

sábado, 23 de maio de 2009

Lanzarote 09











Sérgio Marques é oitavo em Lanzarote e faz o melhor parcial na maratona com 2:49:12...

Esperemos que consigas a tão cobiçada "slot" para Kona 09...

Finish
1. Bert Jammaer 8:54:03
2. Stephan Vuckovic 8:57:17
3. Olaf Sabatschus 8:59:03
4. Gregorio Cáceres Morales 9:01:06
5. Stephen Bayliss 9:02:15
6. Scott Neyedli 9:04:29
7. Ain-Alar Juhanson 9:05:13
8. Sergio Marques 9:08:38

sexta-feira, 22 de maio de 2009

RÕl wheels

ROL Carbon 58

// THE CARBON 58 IS ONE OF THE MOST VERSATILE WHEELS IN THE WORLD! IT'S FAST, STIFF, AGILE AND BOASTS WORLD-RENOWNED AERODYNAMICS.

Its advanced aerodynamics, light weight and stiffness make the Carbon 58 a world-class bike wheelset. As one of the most versatile in its class, the Carbon 58 is designed to do ANY thing at ANY time! Light enough for climbs, yet stiff enough to endure the rigors of street course competition, the Carbon 58 eats up the open road and is a proven winner in road racing, criteriums and triathlons around the world.


http://www.rolwheels.com/

Ironman Lanzarote 09


http://www.ironmanlanzarote.com/

18th Ironman Lanzarote preview

The race to be the fastest man and the fastest woman Lanzarote Ironman for 2009 is a booked out event which includes 32 pro men and 16 pro women. Returning to defend their respective 2008 winner titles are Bert Jammaer and Bella Bayliss as are the male and female podium finishers Ain Alar Juhanson, Teemu Toivanen, Heleen Bij de Vaate and Tara Norton. In addition local Lanzarote Ironman identities Gregorio Caceres Morales and Nicholas Ward Munoz are favoured for top ten or podium finishes.

The International nature of Ironman Lanzarote is such that it has attracted athletes from both hemispheres for a total of 41 countries represented. Many top pros from around Europe and further afield all aspire for a podium finish, a first place or a course record of 8 hrs 35 minutes for the men and 9 hrs 24 minutes for the women. The line-up of pro-athletes includes for the men, Olaf Sabatschus and Stephan Vuckovic from Germany as well as the ex Telekom cyclist Kai Hundertmark, Dave Rost, Chris Brands and Bram Van den Bergh from The Netherlands, Stephen Bayliss and Scott Neyedli from Great Britain, Sergio Márques from Portugal and Xavier Lefloch from France. As to the women, Hillary Biscay from the USA, Kristina Wiegand and Ulrike Schwalbe from Germany, Lanzarote winner 2006 Karin Thuerig as well as Beatrix Blattmann from Switzerland, Catherine Houseaux from France and Elena Maslova from the Russian Federation.

With a start time of 7am, spectators, media and those who just love the rush of adrenaline will watch 1240 men and 100 women run from the beach of Puerto del Carmen into the Atlantic waters to swim 3.8 kms. At the completion of the 2 lap swim course the athletes will then transition from wetsuits to cycle gear and their bike to ride 180 kilometers around the island. The ride takes in notable climbs and descents of Los Valles, Haria and Mirador del Rio and the moonscape and lava fields of Timanfaya (Fire Mountains) that challenge the spirit of the most hardened athlete. As each athlete returns to Puerto del Carmen and transitions from cycling to running gear they will have completed the 180 kms and 2551 m of climbing in what is titled the Toughest Ironman Triathlon in the World. But the race is just over half-way as they still have to run a marathon along the shoreline of the once historic fishing village that has been transformed into a destination for Ironmen and supporters. 42.2 long hot kilometers away waits the finish line, the time clock and the waiting handshake from Kenneth Gasque (Race Director) who greets each athlete and welcomes them to the "Lanzarote Ironman Finishers Family".

In the world of Ironman "Anything is Possible" and that is testified by the oldest female and male entrants. Edwina Brocklesby is a 66 year old social worker from London and Richard Lake a 71 year fitness instructor from England. In addition there is Stéphane Rouyer representing the physically challenged/wheel chair athletes who truly do confirm that in the world of Ironman "Anything is Possible".

Giro d'Italia etapa 13

Cavendish x 3


Cavendish x 3
Agenzia Ansa

Cavendish ganha pela terceira vez no Giro. Mais uma vez, Petacchi não consegue responder. Menchov mantém a Rosa numa etapa rápida.

13ª Etapa - Etapa de transição. Depois do esforço do contra-relógio, uma etapa plana com chegada ao sprint. À partida Robert Hunter resumiria tudo acerca do que se iria passar. "Espera-se uma etapa típica do Giro. 120 quilómetros com uma fuga e depois uma chegada ao sprint". Nem mais.

MÉDIA ELEVADA

A destacar apenas a elevada velocidade a que se correu. A média final da etapa rondou os 46 quilómetros hora. Tendo em conta os 30 graus de temperatura resgistados, pode dizer-se que ninguém se poupou após o esforço do dia anterior.
A fuga do dia muito contribuiu para a muito boa média. Leonardo Scarselli (ISD), Mikhail Ignatiev (Team Katusha) e Björn Schröder (Team Milram) atacaram ao quilómetro 12. Três homens na frente podiam ser algo perigosos e por isso, a partir do momento em que a fuga chegou aos cerca de 5 minutos, a Garmin de Farrar começou a trabalhar. Pouco depois, entrou ao serviço a Columbia de Cavendish e rapidamente o pelotão voltaria a rolar compacto.

FINAL AO SPRINT

Nos últimos cinco quilómetros assistiu-se a uma luta de combóios entre a Garmin e a Columbia. Petacchi (LPR) assistia "sentado" na roda do Britânico. Também por perto, mais uma vez, Allan Davis (Quickstep) e Robert Hunter (Barloworld).
Na longa recta da meta, com mais de 1000 metros, seria Cavendish o primeiro a atacar. Petacchi ainda tentou recuperar, mas sem sucesso. O melhor que o Italiano conseguiria seria o 2º lugar.

Amanhã, dia importante com chegada ao estilo de Di Luca que pode "caçar" mais alguns segundos em bonificações.

Etapa 13

1 Mark Cavendish (GBr) Team Columbia - Highroad

2 Alessandro Petacchi (Ita) LPR Brakes - Farnese Vini

3 Allan Davis (Aus) Quick Step

Class Geral

Menchov lidera com 34 segundos de vantagem sobre Di Luca.

http://www.steephill.tv/giro-d-italia/








É já este fim de semana em Budapeste mais uns campeonatos da europa de duatlo onde Portugal tem aspirações a lugares de topo mais uma vez no palco internacional com O Sérgio Silva e o Lino Barruncho...Teremos também em prova o Tiago Silva se finalmente apanhou o avião e o Palma a lutar para uma boa prestação na prova junior...Vamos ver como tudo se desenrola este fim de semana.

Quatro portugueses em Budapeste

Portugal estará representado no Europeu de Duatlo, que se realiza sábado e domingo na capital húngara...
Quatro portugueses em Budapeste

Portugal estará representado no Europeu de Duatlo, que se realiza sábado e domingo na capital húngara, por um júnior (Pedro Palma), um atleta nos Sub 23 (Tiago Silva) e dois atletas no escalão principal de Elites (Sérgio Silva e Lino Barruncho). Para Pedro Palma será a estreia numa competição internacional de duatlo. O jovem atleta do Clube de Triatlo de Perosinho será o primeiro a entrar em acção. A prova júnior inicia-se às 12h30 (hora local) e apresenta as seguintes distâncias: - 5 quilómetros de corrida (duas voltas)- 20 quilómetros de ciclismo (quatro voltas)- 2,5 quilómetros de corrida (uma volta) Pelas 16h45 (hora local), começa a prova de Elites e Sub 23 (os atletas destes dois escalões competem em simultâneo), disputada na distância olímpica: - 10 quilómetros de corrida (quatro voltas) - 40 quilómetros de ciclismo (oito voltas) - 5 quilómetros de corrida (duas voltas)Sérgio Silva e Lino Barruncho estão entre os candidatos ao triunfo. Sérgio apresenta-se em Budapeste como vice-campeão da Europa de Duatlo (prova realizada em Serres - Grécia), tendo no currículo a medalha de bronze no Campeonato do Mundo de Duatlo em 2008 (Rimini - Itália) e 2007 (Gyor - Hungria) e os títulos de Campeão do Mundo e da Europa de Duatlo no escalão de Sub 23, ambos alcançados no ano de 2006. Já Lino Barruncho participa no Campeonato da Europa de Duatlo pela 13.ª vez, no escalão de Elites, tendo sido quinto classificado no ano passado. Também em 2008 conquistou a medalha de bronze no Europeu de Duatlo de Longa Distância. Em Rimini (Itália), sagrou-se vice-campeão da Europa em 2006, resultado idêntico obteve dois anos antes, no Campeonato do Mundo em Geel. O título de Campeão do Mundo conquistou-o em 1996, na categoria júnior. Tiago Silva compete nos Sub 23. Atleta da formação madeirense Ludens Clube de Machico, tem integrado os estágios das selecções nacionais de triatlo e duatlo nos últimos tempos. No ano passado, esteve presente no Europeu de Duatlo e alcançou o quinto lugar. Pedro Laginha Palma estreia-se nas competições internacionais de duatlo. Já nas provas de triatlo, foi um dos portugueses que competiu no Campeonato da Europa de 2008 de Lisboa, concluindo a prova júnior em 47.º lugar.Equipas no domingoSábado é o dia reservado para as provas individuais. Já no domingo, dia 24, disputam-se as provas por estafetas. Portugal deverá estar representado com uma equipa, sendo que a constituição da mesma ficará definida em função do desempenho dos quatro atletas na competição individual. Teste para 2010No próximo ano, Budapeste será o palco da finalíssima do Campeonato do Mundo de Triatlo. A pensar nesta importante prova, os percursos de ciclismo e de corrida para o Europeu de Duatlo serão os mesmos do Mundial.



http://www.triathlonbudapest.com/en

quinta-feira, 21 de maio de 2009

As laranjas milagrosas do Chipre...

...aqui está uma amostra das "tais" laranjas...
...este é o carregamento que eu já encomendei e que chega em breve...
...são elas as tão cobiçadas laranjas do Chipre que dão andamento...
...se não acreditam, por favor perguntem a uns tais triatletas russos do circuito ITU!!